AMD Threadripper ou Intel Core i9: veja qual super processador é o melhor

AMD e Intel decidiram esquentar a briga ao anunciarem os processadores Threadripper e Core i9.

Veja cinco processadores Intel e AMD com baixo custo e boa performance

Threadripper e i9 7980XE são os novos processadores top de linha da AMD e Intel. Eles podem oferecer até 18 núcleos e especificações que impressionam em todos os quesitos revelados pelas duas fabricantes até agora. A seguir, veja o comparativo entre Threadripper e i9 7980XE e escolha o melhor modelo para você.

 

Especificações: Core i9 7980XE

Core i9 top de linha tem vantagem na contagem de núcleos sobre o Threadripper (Foto: Divulgação/Intel)

O top de linha da Intel foi anunciado com 18 núcleos e 36 threads (você pode entende-los como núcleos simulados logicamente dependendo da situação). São 18 MB de cache L2 e mais 24,75 MB de cache L3: são quantidades nunca antes usadas em CPUs domésticas e devem dar ao processador da Intel folga para render muito mais do que qualquer outra CPU. A memória cache armazena dados usados de forma recorrente pela CPU e quanto maior for a sua capacidade, maior tende a ser a velocidade do processador. Segundo a Intel, o i9 7980XE vai operar a 3.0 GHz, mas com o Turbo, velocidades de 4.5 GHz poderão ser vistas em alguns dos 18 núcleos da CPU.

O processador da AMD tem 16 núcleos e 32 threads mas conta com um aspecto técnico que pode fazê-lo superior ao i9 em alguns casos: o Threadripper oferece suporte a 64 linhas de PCIe 3.0, contra 44 do Intel. Quanto mais linhas PCIe suportadas, maior será a capacidade do computador equipado com o AMD em oferecer suporte a várias placas de vídeo, SSDs e outros periféricos que usem a interface PCIe.
Outro fator positivo do Threadripper é o volume de cache em L3, a 32 MB, superior aos 24,75 encontrados no rival i9. De resto, tanto Core i9 como Treadripper aceitam DDR4 em quad-channel.

 

Compatibilidade: empate

Investir no Threadripper ou no Core i9 vai exigir placa-mãe nova (Foto: Divulgação/Asus)

Os super processadores da AMD e Intel exigem que o consumidor tenha em mãos uma placas-mãe compatível com as novas plataformas. No caso do Core i9, será preciso investir em modelos que usem o chipset X299 da Intel, bem como o soquete LGA 2066. A má notícia é que essas placas estão entre as mais caras do mercado, independente do fabricante escolhido.
No caso da AMD, vale o mesmo princípio: apenas as placas top de linha, com o chipset X399 (e a similaridade de nomes com a opção da Intel pode criar confusão), serão capazes de aceitar o Threadripper.

 

Overclock: empate

As duas alternativas contam com multiplicadores liberados e ferramentas para dar suporte à realização de overclock, muito embora a noção de se acelerar processadores com tantos núcleos e velocidades já bastante altas por padrão possa parecer um exagero para muita gente.
Em demonstrações, o Core i9 7900X, que é o i9 “baratinho”, da Intel já foi monitorado operando de forma estável a 5.7 GHz e, em relação ao Threadripper, a Asus indicou que velocidades na casa dos 5 GHz são possíveis em suas placas-mãe X399.

 

Custo-benefício: empate

Investir no Threadripper ou no Core i9 vai exigir placa-mãe nova (Foto: Divulgação/AMD)

A AMD ainda não divulgou alguns detalhes importantes sobre o Threadripper: não se sabe quantos modelos serão lançados e a que preços eles chegam ao mercado no fim do ano. Nisso, a Intel sai na frente: são cinco Core i9 diferentes, com preços que saem dos US$ 999 (ou R$ 3.290, em conversão direta), para a unidade de entrada com 10 núcleos, e US$ 1.999 (R$ 6.587) para o top de linha, com 18 cores.
O custo benefício desse tipo de processador ainda é difícil de mensurar porque dados reais de performance ainda não estão disponíveis. Mas, do ponto de vista do usuário doméstico, é incerto até que ponto uma CPU de 18 ou 16 núcleos faz diferença num mundo dominado por aplicações e jogos que foram todos desenvolvidos com vistas a arquiteturas de, no máximo, oito núcleos.
A respeito dos preços, apesar da AMD não ter divulgado os valores da linha Threadripper, é preciso considerar a tendência histórica da marca em praticar preços mais baixos do que os produtos equivalentes da Intel.

 

Conclusão

Com preços tão altos, os novos processadores de AMD e Intel fazem sentido apenas para quem pode, mesmo, enfiar a mão no bolso sem remorsos, ou para usos bastante específicos e longe das necessidades mais caseiras: ilhas de edição de alta performance e até servidores podem ser construídos em torno dos Threadripper e i9.

 

Fonte(s): TechTudo

 

©VirtuaLife 2016
Licença Creative Commons

Que tal nos ajudar?